Campeão da América, Atlético-MG reúne nove velhos conhecidos da dupla Gre-Nal

25/07/2013 09:58

Campeão da América, Atlético-MG reúne nove velhos conhecidos da dupla Gre-Nal Vanderlei Almeida,AFP/O goleador da Libertadores é um velho conhecido dos colorados. Ao fazer o gol que abriu o placar no Mineirão, Jô ultrapassou justamente o novo reforço do Inter e foi o jogador que mais marcou na edição do campeonato — com sete gols na conta, deixou Scocco, que marcou seis vezes, para trás, empatado com Diego Tardelli. O atleta que, por indisciplina, teve seu fim no Beira-Rio quando começou a treinar em Alvorada, deu a volta por cima e foi um dos destaques da competição.

Já quem levantou a taça mais importante da história do alvinegro esteve pelo Olímpico por cerca de dois anos. Capitão do Atlético, Réver era o titular da zaga do Grêmio em 2008, quando o tricolor foi vice do Brasileiro. A defesa daquele time começava com Victor, um dos heróis da conquista da Libertadores — o goleiro defendeu pênaltis importantes a partir das quartas de finais da competição, incluindo um na decisão.

Na lista dos jogadores que já passaram pela dupla, se juntam Ronaldinho — revelado pelo Grêmio — e Alecsandro — campeão da Libertadores de 2010 pelo Inter. O meia conquistou o único título que faltava em sua carreira. Eleito melhor do mundo duas vezes, o jogador também conquistou uma Copa do Mundo pela Seleção Brasileira e uma Liga dos Campeões pelo Barcelona. Com o feito da última quarta, ele se junta ao grupo de quatro brasileiros que conquistaram os campeonatos continentais da América e da Europa: Dida, Cafu e Roque Júnior — no mundo, os argentinos Sorín, Santiago Scolari, Tevez e Samuel também conseguiram a façanha.

No banco de reservas do Galo, Gilberto Silva — que atuou no Grêmio entre 2011 e 2012 —, Rafael Marques — no tricolor de 2009 a 2011 — e Rosinei — no Inter em 2008 e 2009 — completam a lista dos velhos conhecidos da dupla.

Mas quem brilhou mesmo foi o comandante. Tachado como azarado, Cuca espantou a fama e foi campeão. O técnico esteve à frente do Grêmio em 2004, quando o time foi rebaixado à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Zero Hora